3

HOW IT ALL BEGAN

We are a group of friends from the North of Portugal that still shares the idea of doing music. We live in a small community lack culture and facilities so music always was an escape from everything, a form of expression that gives the world an insight of our vision.

The band was formed in 2003 and although we were active since then we were only capable to released two Records. In the first years, our focus was mainly on playing music all together and learn as much as possible about our instrument playing live.

Last year, after a little bit of persistence, resilience, and hard work we finally released our first album (In)Versus. In this album, you will see various influences, always assuming the progressive DNA sound associated with other styles within Hard Rock and Metal. There is an innate evolution of the band that combines the most alternative sound, associated with orchestrations and peculiarly psychedelic.
The album was entirely recorded by Sollust, in particular Rui Pereira, and later on, sent to producer Guilhermino Martins “Blind & Lost Studios” to finishing the mixing and mastering process.

COMO TUDO COMEÇOU

Banda fundada em 2003 na cidade de Peso da Régua com o line-up de 4 elementos Mika (Baixo), Miguel Silva (Guitarra), Bruno Carvalho (Bateria) e Rui Pereira (Guitarra e Voz).

Com este Line-Up proporcionou-se o aparecimento do projeto “Moonlight”, sendo precisamente durante esse projeto que cada elemento teve o primeiro contacto com os respetivos instrumentos, exceto Rui Pereira que já demonstrava aptidão para tocar guitarra e compor.

Quatro anos mais tarde com a saída do quarto elemento Bruno Carvalho, curiosamente o idealizador do projeto inicial, deu-se início aos primeiros ensaios do projeto seguinte, intitulado de “Sollust”. Nessa altura houve mudança de line-up, passando Miguel Silva para a bateria onde se manteve até final de 2019.
Em “Sollust” nasceu uma fusão de sonoridades que vão desde o Hard Rock até ao Metal mais alternativo, fruto das influências de cada elemento da banda, deu-se então uma mistura de sonoridades entre o progressivo e um metal mais agressivo.

Em 2010 após algumas indecisões e dificuldades devido a incompatibilidade profissional dos elementos deu-se um marco importante na existência da banda, pois seguidos vários anos de anonimato e sem grande realização musical surgiu a oportunidade de dar um novo rumo ao projeto, com o aparecimento em concertos na região Norte e Centro de Portugal.

Em 2011 com o grande apoio de Guilhermino Martins (Produtor, Guitarrista e Vocalista de “Thanatoschizo”) e com autofinanciamento por parte dos três elementos inicias deu-se início à gravação do EP de estreia com o nome “The Last Bird Song”, nos estúdios “Blind&Lost” em Santa Marta de Penaguião.
Neste EP cujo o lançamento só se realizou em 2012 podem ouvir-se seis temas dos muitos compostos ao longo dos anos. Os temas foram compostos por Rui Pereira (letra e instrumental) e Miguel Silva (percussão).

Por fim, após alguns anos de tentativas sem êxito de adicionar outro guitarrista, surgiu a oportunidade de João Peixoto ainda em 2011 incorporar o projeto. Em 2012 João Peixoto teve de abandonar a banda por motivos profissionais ficando mais uma vez “Sollust” sem guitarrista. Passado algum tempo entrou Mário Monteiro como seu substituto permanecendo como guitarrista da banda dois anos entre 2013 a 2015 ajudando assim a divulgar o álbum “the last bird song”.

Em finais de 2015 Mário Monteiro acaba por sair de “Sollust” pelo mesmo motivo que o seu antecessor, deixando assim a banda órfão de um “Lead Guitar”, mas por pouco tempo, pois em 2016 deu entrada em “Sollust” Rui Monteiro o “Lead Guitar” que deu a estabilidade esperada para a banda, em termos de composição e mesmo em concertos.
Neste momento a banda encontra-se em estúdio, construindo o álbum de estreia intitulado “(In)Versus” com o lançamento previsto para 2019.
Neste álbum vai ser percetível diversas influencias, assumindo sempre como ADN a sonoridade progressiva associada a outras sonoridades dentro do Hard Rock e Metal. Existe uma evolução inata da banda que conjuga a sonoridade mais alternativa, associada a orquestrações e peculiarmente ao psicadélico. O álbum está a ser gravado em lamego no estúdio “AG Recording Studio” com a preciosa ajuda do produtor André Guerra.

O quarteto volta aos palcos em meados de 2020 para apresentação do seu ultimo trabalho “(In)Versus”.